terça-feira, 23 de novembro de 2010

SLACKLINE. Jogando com o Equilíbrio - Nova Modalidade é Tendência para este Verão

Provavelmente de origem circense, a Corda Bamba ou Slack Line surgiu para busca do equilíbrio físico e concentração de quem pratica, mas não se sabe ao certo quando e nem aonde surgiu, o que se sabe, é que hoje essa prática vem sendo aprimorada, e está conquistando adeptos do mundo inteiro.

Seja no picadeiro de circo, de uma árvore para outra, ou em cima de um cânion ou escarpa de pedra a vários metros do chão, os adeptos dessa atividade procuram mesmo é se equilibrar através de muita concentração e persistência, para desenvolverem novos padrões psicomotores, e se divertirem com ganho de autocontrole e autodomínio de si.

Essa atividade teve uma grande repercussão recentemente na década de noventa entre os escaladores que necessitam de equilíbrio e concentração para escalar.

Como os equipamentos usados eram os mesmos, foi fácil adaptá-los para prática da corda bamba, bastou pegar e amarrar entre as árvores a um metro do chão para andar enquanto descansavam entre uma escalada e outra. Como todo esporte ou prática se aperfeiçoam, essa também aperfeiçoou, e ao invés de corda os escaladores passaram a esticar uma fita tubular, que recebeu o nome de Slack Line.

A partir de então, alguns escaladores, como bons aventureiros, passaram a praticar Slack Line entre cânions, e de escarpas para tótem de pedras a mais de cem metros do chão, com total seguridade que os equipamentos podiam oferecer, pois sempre estavam bem amarrados através de um cabo vida conectado entre a cadeirinha e a fita tubular.

No Brasil essa prática também teve uma grande repercussão entre os escaladores que vem aperfeiçoando as técnicas e vencendo desafios como Maurício Martins, que nos conta que quando começou a andar com seus amigos foi mais difícil, pois não tinham quem observar, nem quem o instruir, mas com passar do tempo, e depois de muito treinando indo de um lado para outro, começaram a criar manobras e descobrir que andar na corda não era mais difícil que na fita, e vice-versa, mas a dificuldade estava aonde se treinava menos, pois não depende só da superfície onde se anda, mais também da tenção, de quanto se estica, e do comprimento utilizado.

Depois de muitos treinos a um metro do chão, Maurício Martins com vontade de vencer seus limites, começou a praticar Slack Line a seis metros de altura d’água e sete metros de um lado para outro da cachoeira Poço Azul no entorno de Brasília, e lá, começou a ir a busca de uma concentração mais interada com a natureza, ouvindo os pássaros, a cachoeira e todo o ambiente natural que o rodeava, e quando caia, diz ele, ainda tomava um banho d’água agradável.

Hoje a maior preocupação dos praticantes que gostam de montar a Slack Line nas alturas é com a boa utilização dos equipamentos, pois quando se utiliza equipamentos de segurança, tem que ter domínio sobre os mesmos para que seja só diversão!

Equipamento Básico..:: Fita tubular ou plana e alguns mosquetões

Fonte..:: Blog Da o Beta

Curso de Capacitação em Slackline - em Santos (SP) Saiba mais AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A Brasil Adventures agradece o seu comentário.